ChainLink (LINK) – Porquê Investir Nesta Criptomoeda em 2019?

Concordarás que existem dois grandes grupos de interessados na blockchain:

A ChainLink (LINK) tem tudo para agradar aos dois!

Se, por acaso, pertences espaço comum entre estes dois grupos, então tens ainda mais motivos para ler este artigo até ao fim. 

A ChainLink é um daqueles projetos que tem tudo para vencer no mundo tecnológico. Para além de preencher uma necessidade neste ecossistema em rápida evolução, já conseguiu algumas parcerias com gigantes do setor.

Neste artigo ficarás a saber como funciona a ChainLink, onde poderás comprar esta criptomoeda e por que razão soma, em 2019, uma valorização superior a 500%!

1. O Que é a ChainLink?

Se quiséssemos partir o nome deste projeto em dois, ficaríamos com o seguinte:

Chain (Cadeia) + Link (Ligação), ou seja, Ligação entre Cadeias

Em resumo, a ChainLink é isso mesmo: um elo de ligação, neste caso, entre a blockchain e o mundo real.

Rede ChainLink conexão com blockchain
A rede ChainLink transporta dados do mundo real para a blockchain.

Por este motivo é, naturalmente, um projeto capaz de gerar uma grande base de clientes, já que qualquer operador que esteja na blockchain é um potencial interessando na rede ChainLink.

A ChainLink é liderada por Sergey Nazarov, e teve o seu ICO (Initial Coin Offering) em 2017, conseguindo levantar 32 milhões de dólares.

O seu CEO é também um grande impulsionador dos Smart Contracts (é responsável pelo portal SmartContract.com), que, como veremos já a seguir, são uma peça central da ChainLink.

2. Como Funciona a ChainLink?

Neste momento poderás estar a pensar:

“O que é que acontece aos dados do mundo real que são transportados para a blockchain?”

A resposta é simples: uma vez na blockchain, esses dados são processados por Smart Contracts.

Os Smart Contracts são uma das grandes vantagens trazidas pela tecnologia blockchain – são protocolos autoexecutáveis e descentralizados que tratam dados com grande eficiência, uma vez que são capazes de acabar com os erros humanos, reduzindo custos e tempos de espera.

Mas há um problema:

Os Smart Contracts não conseguem aceder por si próprios aos dados e informação do mundo real.

Data Versus Blockchain

É precisamente aqui que entra a ChainLink – a sua função é viabilizar a conexão entre os dados do mundo real e a blockchain.

2.1 O papel da ChainLink nos Smart Contracts

A ChainLink faz o papel de Middleman (intermediária) ou, neste caso, Middleware. O Middleware é um software responsável pelas trocas de informação entre dois sistemas informáticos.

Chainlinks validam informação
Fluxo de funcionamento da ChainLink enquanto Middleware.

Ou seja:

Os dados provenientes do mundo real são transportados pela ChainLink para uma qualquer blockchain, onde são processados por via de Smart Contracts.

Sem a ChainLink, ou outra qualquer solução que desempenhasse a mesma função, este fluxo não existiria e a execução de Smart Contracts encontraria um atrito muito maior.

É por isso que a ChanLink desempenha um papel crucial neste novo ecossistema.

2.2 Segurança no tratamento de dados

Os Smart Contracts são considerados instrumentos altamente seguros e confiáveis.

Mas, para que assim seja, os inputs e outputs em que se baseiam têm de ser igualmente seguros.

Workflow da Chainlink
Arquitetura utilizada pela ChainLink.

No processo ilustrado acima, o papel dos ChainLink Nodes (ou ChainLinks) é analisar mais do que uma vez a informação proveniente do mundo real (External API) antes de a enviar para a blockchain, onde é executada por um Smart Contract.

Este processo deve ser meticuloso, de forma a garantir que não existe qualquer erro na tomada de decisão.

Ou seja:

A grande missão da ChainLink é “fazer justiça” às virtudes trazidas pelos Smart Contracts.

Vejamos um exemplo:

  • Imaginemos que fiz um seguro para o meu carro e as condições em que não assumo responsabilidades estão perfeitamente identificadas, sendo que esta informação está firmada num Smart Contract;
  • Numa lógica de “se…, então…” (do inglês if/then), o Smart Contract sabe que, se me riscarem o carro, é a seguradora que assume;
  • Se, por algum motivo, a ChainLink não fizer corretamente a transmissão desta informação para a blockchain, eu poderei ser penalizado por isso.

É por este motivo que a ChainLink se está a tornar tão relevante – oferece um serviço único e absolutamente indispensável para o futuro da blockchain.

Newsletter

Subscreve e fica a par de todas as novidades das criptomoedas!

3. Preço da LINK

A ChainLink (LINK) atingiu o seu All Time High (melhor cotação de sempre) a 30 de junho de 2019, ao alcançar um preço de $4,49.

A valorização aconteceu no seguimento da sua adição à plataforma Coinbase… e não só.

Evolução da ChainLink desde o início de 2019, quando valia apenas $0,29.

Dias antes da adição ao Coinbase, já a ChainLink tinha recebido grande destaque a nível mundial.

A Google, através da sua plataforma Cloud, publicou um artigo sobre a forma como o armazenamento em nuvem da empresa se poderia conectar à Blockchain através de Smart Contracts.

Como seria feita a ponte entre as duas tecnologias?

Nem mais, através da ChainLink!


A publicação do artigo fez a LINK disparar cerca de 70%, mas isso até nem é nada quando comparado com os dados acumulados desde o inicio do ano.

Apesar de não estar no seu ATH, a ChainLink é uma das criptomoedas que mais valorizou em 2019, somando ganhos superiores a 500%!

4. Onde Comprar LINK?

Até muito recentemente, entre as principais exchanges, a ChainLink apenas estava disponível na Binance.

A Binance é uma das melhores bolsas que existem, já que oferece taxas atrativas e centenas de criptomoedas diferentes.


Tal como já abordámos neste artigo, a ChainLink também está disponível na Coinbase desde junho de 2019.

Esta plataforma é recomendada acima de tudo para iniciantes, que querem uma plataforma com uma wallet integrada, mas que não querem necessariamente fazer trading.


5. Perspetivas Futuras

Para um projeto numa fase ainda relativamente embrionária, a operar num meio que tem igualmente uma grande margem de crescimento, a ChainLink parece ter boas perspectivas no horizonte, desde logo a começar pela sua rede de parceiros tecnológicos.


Google SWIFT Gartner IC3 Parceiros Chainlink
Parceiros tecnológicos da ChainLink, de acordo com o website do projeto.

Se as parcerias com estes gigantes continuarem a dar frutos, nomeadamente no trabalho desenvolvido com a Google para a adoção de Smart Contracts, a ChainLink terá certamente um futuro risonho.

6. Conclusão

A ChainLink oferece uma solução que preenche uma necessidade nesta nova realidade tecnológica proporcionada pela blockchain.

Se é verdade que os Smart Contracts têm tudo para melhorar a maneira como os negócios e a prestação de serviços ocorrem hoje em dia, então também é verdade que a ChainLink, enquanto intermediária neste processo, tem uma grande margem de crescimento.

O lançamento da sua própria MainNet durante o primeiro semestre de 2019, para responder ao aumento da procura, é mais uma prova do sucesso do projeto.

Qualquer player que lide com Smart Contracts na blockchain é, direta ou indiretamente, um potencial cliente da ChainLink.

Esta realidade tem vindo a ser refletida no preço da LINK, que tem assinalado um crescimento muito relevante, à medida que são apresentas novas parcerias e planos. Por estes motivos, olhamos com entusiasmo para o futuro desta criptomoeda.



1 comentário

Adicionar um comentário