DASH Criptomoeda – Análise: Masternodes e Como Comprar?

A criptomoeda Dash nasceu em 2014. O seu nome é uma fusão de Digital Cash, e como podem imaginar, a grande aplicação desta moeda é no ramo da tecnologia financeira – FinTech. Com os tokens desta criptomoeda, conhecidos como DASH, é possível realizar-se transações anónimas e quase insantâneas, mantendo sempre um baixo custo.

Tal como foi o caso com várias outras criptomoedas, em 2017 a Dash trouxe enormes retornos financeiros aos seus investidores. Só nesse ano, a moeda cresceu mais de 8.000% – seis vezes mais que a Bitcoin. Por se ter cimentado tão bem no mercado, hoje em dia, esta criptomoeda ainda tem um bom lugar no ranking geral.

Como funciona a Dash?

Esta criptomoeda foi criada a partir de uma versão modificada do código software da Bitcoin – um hard fork. As suas funcionalidades são por isso muito parecidas com as da BTC, embora com algumas diferenças fundamentais:

  • capacidade de manter rapidez de transações, mesmo sob alta demanda;
  • transações anónimas e praticamente instantâneas;
  • implementação de masternodes – e consequente mudança ao modelo de governânça.

O projeto da Dash é open-source, ou seja, qualquer pessoa pode implementar gratuitamente o software desta moeda para efetuar pagamentos (enviar e receber DASH). Uma apresentação bem conseguida à Dash (e ao conceito de criptomoedas em geral) é o vídeo produzido pelo próprio projeto:

Além disto, é útil mencionar também que o algoritmo de consenso utilizado por esta moeda é o Proof-of-Work, com a função de hash “X11”. O tempo médio de mineração de uma DASH é de dois minutos e meio. No entanto existe outro algoritmo de consenso neste projeto, o Proof-of-Service, que irão ficar a conhecer.

Introduzindo: Masternodes – Nós Mestres

Todas as criptomoedas precisam dos nósnodes – isto é, dos utilizadores (e seus computadores) que geram e armazenam a blockchain. É o que possibilita a descentralização da rede e a validação das transações que a ela são adicionadas.

No caso da Bitcoin, nem todos os nós da rede são recompensados pelo seu contributo para a rede. Na verdade, uma das suas maiores críticas à Bitcoin é o fato do seu poder de mineração ser tão concentrado nas grandes centrais, que conseguem gerar um poder enorme de processamento especificamente para esse objetivo. Com isso, não existe margem para pequenos ou médios nodes serem recompensados pela sua participação.

Como já sabemos, essa presença de diversos nós independentes garante uma camada de transparência, segurança e descentralização. Por outro lado, também faz com que algumas transações demorem um tempo muitas vezes insatsifatório para se completarem. Em alturas de grande demanda, há transações que podem levar mais de uma hora a ficar resolvidas; e com taxas elevadas.

Transações Bitcoin
Média de tempo de confirmação de uma transação de BTC – em www.blockchain.com

A solução da Dash para isto são os masternodes. A esses nós são exigidas condições de excelência tais como:

  • 1.000 DASH (chamada caução);
  • presença online 24 horas por dia;
  • perda de coneção máxima de 1 hora;
  • endereço de IP dedicado;

Com a participação destes nós mestres, que validam uma parte das transações, as recompensas são distribuídas da seguinte forma:

Recompensa DASH

Ou seja, em troca pela sua contribuição (Proof-of-Service), os masternodes recebem 45% da recompensa dos blocos minerados – uma média de 2 DASH por semana para cada nó mestre. Além disto, estes nodes desempenham um papel na dinâmica de governança da blockchain da Dash, podendo votar em propostas a mudanças do seu protocolo. Por este motivo se afirma que o projeto da Dash é uma DAO – Decentralized Autonomous Organization.

Esta hieraquia de nós na blockchain desta criptomoeda é o que permite uma maior estabilidade no funcionamento da rede. Queremos com isto dizer que a as transações de DASH não estão sujeitas a flutuações no tempo e custo necessários para a sua resolução.

Funcionalidades – PrivateSend e InstantSend

Além das transferências normais existem estas duas funcionalidades, muito apelativas, da Dash. Com o PrivateSend é possível tornar a transação completamente anónima, escondendo não só os endereços das partes envolvidas mas também os valores negociados. O InstantSend serve para transações instantâneas, competindo com a velocidade existente em cartões de crédito.

Tanto o InstantSend como o PrivateSend implicam o pagamento de uma taxa (0,001 e 0,0001 DASH respetivamente); estas taxas não passam de 10 cêntimo de dólar.

A esta altura podem-se estar a perguntar:

“Mas a Bitcoin não é anónima?”

Assim como na maioria das outras criptomoedas, a Bitcoin é pseudo-anónima, pois as suas transações ficam todas registadas publicamente na sua blockchain. Nesses registos é possível verificar os valores e endereços envolvidos nas transações. No entanto, é bastante difícil rastrear o endereço de uma carteira a um nome ou localidade de uma pessoa. Mesmo assim a exposição das transações é incómoda para muitos; prova disso é o sucesso desta moeda.

Comparativamente a outras acima do seu ranking, o volume diário de DASH movimentado é consideravelmente maior.

Volume DASH
Volume (24h) de DASH – em: www.coinmarketcap.com

 

Onde se pode usar DASH?

Pelas suas possibilidades de pagamento instantâneo, esta criptomoeda é aceite em milhares de lugares em todo o mundo. É possível fazer levantamentos em ATM’s com cartões de crédito e débito que convertem automaticamente DASH para dinheiro governamental (Euro ou Dólares).

A página Discover Dash mostra locais onde esta moeda é aceite como forma de pagamento. Em Lisboa já existe uma lista de hotéis, restaurantes e outras lojas onde pode fazer compras com DASH. Outras lojas virtuais de diversos tipos de produtos podem ser consultadas na página oficial do projeto.

Além destes, um dos usos mais aclamados desta moeda, e prova do seu potencial, é o combate à inflação que existe hoje na Venezuela. Os venezuelanos conseguem comprar comida e bens necessários com esta criptomoeda, a preço mais barato do que se o fizessem com a sua moeda nacional.

DASH VenezuelaComo comprar ou investir em DASH?

Pode-se investir nesta moeda através de duas maneiras principais:

1. Comprar DASH

A forma clássica de investir em criptomoedas é comprar para vender quando o preço subir. A Dash, em particular, costuma ser menos volátil do que outras moedas, uma vez que metade das suas moedas em circulação estão trancadas em masternodes. Mesmo assim não deixa de ser um investimento de alto risco e alto retorno.

O processo de compra de DASH é mais simples e rápido quando feito em plataformas de negociação online, como é o caso da XTB. Esta plataforma tem licença para operar com instrumentos financeiros de criptomoedas em Portugal, sendo regulada pela CMVM – o que garante uma maior segurança aos investidores.

 

Se já tens facilidade em comprar Bitcoin e em lidar com wallets – carteiras virtuais – então podes comprar DASH diretamente em bolsas de criptomoedas como a Binance.

2. Montar um Masternode

Esta modalidade requer um investimento inicial bem maior, mas permite gerar lucros passivos. É necessário ter 1.000 DASH para montar um masternode, que no preço atual da moeda corresponde ao valor de 8.000$. O retorno de investimento (ROI) irá depender da valorização da moeda e do tempo que mantiverem o nó ativo.

As 1.000 DASH iniciais podem ser resgatadas a qualquer momento – invalidando o masternode. Esta página traz diversas informações importantes e em tempo real sobre os nós mestres de Dash. Podem também consultar o guia oficial da moeda (em português) para saberem como começar.

Conclusão

A criptomoeda Dash já se encontra bem estabelecida no mercado, com uma base de utilizadores firme e boa aceitação no mercado. O seu foco é em transferências rápidas, anónimas e baratas; tornando-a numa competidora da Bitcoin.

Existem algumas diferenças fundamentais entre Dash e Bitcoin, tal como a existência de masternodes, que alteram o modelo de governança da blockchain. Com estes nós mestres também é possível gerar uma renda passiva, embora o investimento inicial seja superior



Comentar