Ethereum – Análise Fundamental

O que é o Ethereum? Como funciona? Onde comprar?

O Bitcoin foi a primeira criptomoeda que surgiu neste mercado. Pode-se afirmar que a primeira aplicação da blockchain foi o dinheiro, uma vez que é isso que o Bitcoin pretende ser: um meio de reserva e transação de valor.

No entanto, o criador do Ethereum, Vitalik Buterin, percebeu que existia outro enorme potencial para o uso da blockchain e das criptomoedas. Além de servir apenas como um meio de armazenamento e troca de valor, pode-se incorporar código informático de modo a programar como, quando e por quem esse valor é distribuído. Esse protocolo informático tem o nome de smart contract.

Com base nesta visão criou-se o Ethereum em 2015, dando início a uma nova “era” conhecida como a Blockchain 2.0, na qual se explorou mais a fundo o potencial desta tecnologia.

Descrição

Ao combinar blockchain smart contracts criou-se uma plataforma pública e descentralizada onde é possível desenvolver novos tipos de aplicações: dApps – aplicações descentralizadas. Estas aplicações abrem um novo leque de possibilidades aos desenvolvedores de aplicações, que hoje em dia, não têm alternativas às soluções centralizadas que dominam o mercado, como a Google Play (Android) e a Apple Store (iOS).

Vejamos as principais características, que embora sempre sujeitas a algumas variações, definem as aplicações descentralizadas (dApps) de um modo generalizado:

  •  a aplicação deve ser open-source; isto é, a aplicação não é controlada por nenhuma entidade central e qualquer um pode contribuir para o desenvolvimento da mesma, desde que os nodos da blockchain concordem com as alterações;
  • os dados e registos da aplicação devem ser armazenados criptograficamente na sua blockchain, de um modo visível ao público;
  • as aplicações devem usar tokens de criptomoedas; as suas funções na blockchain da aplicação variam de caso para caso, mas geralmente usam-se para ter acesso ao produto ou para recompensar os desenvolvedores;
  • as aplicações devem gerar tokens; o Ethereum gera ETH’s cada vez que um bloco novo é encaixado à sua blockchain, isto é um incentivo para os utilizadores e nodos da rede a manterem ativa; existem outras formas de gerar novos tokens;

Desde então a plataforma do Ethereum tem sido usada para criar várias aplicações em variados tipos de serviços e indústrias. Os tokens que são criados na plataforma do Ethereum designam-se ERC20. Grande parte do top 100 das criptomoedas ainda são tokens na blockchain do Ethereum.

Isto deve-se ao fenómeno das ICO’s – Initial Coin Offerings – no qual o Ethereum foi o grande catalisador.

token próprio do Ethereum é o Ether (ETH), ele tem a função de “alimentar” a rede do Ethereum. Ainda assim muita gente usa-o como meio de troca ou armazenamento de valor (tal como o Bitcoin). Estes tokens são criados por um processo de mineração com o algoritmo Proof-of-Work.

 

O Ether é a forma de pagamento utilizada para quem queira usar a plataforma do Ethereum para, por exemplo, criar a sua própria dApp. Qualquer pessoa pode usar a máquina virtual do Ethereum (EVM – Ethereum Virtual Machine) para criar aplicações descentralizadas com uma criptomoeda própria. Estas podem tirar partido dos smart contracts e outros recursos do Ethereum atingirem o seu objetivo.

Exemplos

Suponhamos que eu queria criar uma aplicação descentralizada onde fosse possível apostar no resultado de algum evento (um jogo de futebol ou uma eleição). Eu poderia criar a minha própria criptomoeda na rede Ethereum que fizesse uso dos smart contracts para depois efetuar os pagamentos de uma maneira justa, correta e segura. É essa a proposta de valor da criptomoeda Augur, que permite aos seus utilizadores usar o token próprio REP para testar a sua “sorte” nestes mercados de previsão (prediction markets).

Já existem projetos de criptomoedas que querem tirar partido desta funcionalidade para melhorar indústrias como as apostas online. As casas de apostas que controlam as apostas fazem-no de uma forma centralizada. O seu lucro é gerado ao controlarem as taxas impostas e outros aspetos relacionados às apostas dos seus clientes (como as odds).

A rede do Ethereum é líder atual no que toca ao alojamento e desenvolvimento de dApps. Esta informação pode ser consultada no dappradar.com.

Conclusão

O Ethereum é uma criptomoeda bastante conceituada com um produto extremamente funcional. O Bitcoin foi a primeira onda de inovação nas criptomoedas. O próprio Bitcoin é uma aplicação descentralizada na blockchain, com a intenção de funcionar como uma moeda virtual descentralizada.

O Ethereum trouxe consigo a segunda onda de inovação a este mercado. Na plataforma do Ethereum qualquer desenvolvedor pode criar uma criptomoeda (token ERC20) para implementar a sua ideia em torno de uma aplicação descentralizada.

No que toca a perspetivas futuras, a adoção de uma vertente do algoritmo de consenso Proof-of-Stake é um grande focoEste algoritmo, desenvolvido pela equipa do Ethereum é conhecido como Casper.

Em resposta aos problemas de escalabilidade enfrentados no final de 2017 quando a rede tinha uma contagem muito maior de utilizadores, tornando-a praticamente inviável: transações muito lentas e cara; foi anunciado o desenvolvimento de duas soluções, Sharding e Plasma. São tecnologias de segunda camada (second layer soultions) que visam aumentar o número de transações por segundo (TPS) que a blockchain consegue suportar. Vitalik Buterin espera que com estas duas soluções o aumento de TPS possa ser multiplicado de uma forma brutal, possivelmente atingindo 1.000.000 TPS (o valor atual é de 15 TPS).

 

Onde comprar Ethereum?

A maneira mais rápida e simples de se investir em Ethereum é através plataformas como a IQOption. É uma plataforma de investimento online com ótimo funcionamento. Recentemente passou a oferecer aos seus utilizadores a opção de investimentos em criptomoedas. Outra alternativa à IQOption é o eToro.

 

Para comprares tokens do Ethereum podes fazê-lo através da Hodly, uma excelente plataforma onde é possível comprar várias criptomoedas diretamente com Euros.

 

Caso já tenhas Bitcoin e queiras trocar por Ethereum, a melhor maneira de o fazer é sem dúvida na Binance. É a melhor exchange de criptomoedas com centenas de pares de troca e uma excelente reputação.

 



Comentar