Monero: análise e explicação da criptomoeda

Após o nascimento da Bitcoin, surgiram centenas de altcoins, como é o caso da Monero, que vieram apresentar novas soluções e progressos partindo da mesma base tecnológica – a blockchain.

Esta moeda surge no top 20 do ranking do Coinmarketcap e é uma das concorrentes à Bitcoin graças às suas caraterísicas particulares.

Existem no total 16.906.131 XMR, que já estão todos em circulação!

Origem

Em outubro de 2013, Nicolas van Saberhagen publicou o whitepaper da CryptoNote que foi apresentado como uma solução mais viável às transações P2P feitas com a Bitcoin.

O CryptoNote é o protocolo por trás de algumas criptomoedas e o seu foco é a segurança e o anonimato dos usuários.

Esta tecnologia começou por ser criada em prol da Bytecoin, criptomoeda que rapidamente se viu com alguns entraves no progresso.

Decidiu-se então que a blockchain da Bytecoin fosse dividida (um hard fork). Daí nascem várias criptomoedas nomeadamente a Bitmonero, que posteriormente evoluiu para Monero (XMR).

Bytecoin hard fork
Bytecoin hard fork

Como funciona a Monero?

A maioria das criptomoedas, Bitcoin e Ethereum incluídas, trabalham sobre blockchains transparentes. Tal significa que as transações são verificáveis e rastreáveis por qualquer pessoa na rede.

Assim sendo, as chaves públicas que tu partilhas quando fazes uma transação podem vir a ser associadas a ti.

Por exemplo:

1 – A Ana tem uma chave pública: “123abc”.

2 – A Ana transfere dinheiro para o Tiago, que recebe esse valor associado ao endereço “123abc”.

3 – Se o Tiago souber que foi a Ana que fez essa transferência, ele fica a saber a chave pública dela, tendo acesso a todos os registos desse endereço na blockchain.

Com a Monero, todas as transações estão padronizadas para omitir as chaves públicas dos envolvidos nas transações da moeda, assim como o valor da transferência.

  • Atenção: apesar das diferenças nas questões de anonimato e rastreabilidade, tanto a Bitcoin como a Monero usam o mesmo algoritmo de consenso – o proof of work (PoW).

Newsletter

Subscreve e fica a par de todas as novidades das criptomoedas!

Criptomoeda completamente anónima

criptomoeda anonima

A Monero usa uma tecnologia de encriptação de assinaturas digitais, designada ring signatures. Na prática, as ring signatures “baralham” as chaves públicas dos usuários, eliminando a possibilidade de os identificar.

Ou seja:

Voltando ao exemplo anterior, a chave pública da Ana altera-se após a transação para o Tiago. Na próxima transação da Ana para o Tiago, ele não terá hipótese de reconhecer o remetente (visto que a chave dela deixou de ser “123abc”).

Da mesma forma, não existe a possibilidade das transações da Ana serem rastreáveis na blockchain desta criptomoeda.

Preço da Monero

Desde a sua criação, o percurso da Monero até aos dias de hoje foi bastante volátil, à semelhança do que acontece com a grande maioria das criptomoedas.

Desde a nascença (2014 – 2019)

Preço Monero 2014-19
Preço da Monero desde 2014 (escala logartítmica). Fonte: coinmarketcap.com

Na dia do seu nascimento, algures em Maio de 2014, um XMR custava 2,47$. Desde aí, o seu preço já atingiu os máximos e mínimos históricos de 495$ e 0,31$ respetivamente.

Anos de “ouro” e “correção” (2017 – 2018)

Preço Monero 2017-18
Preço em escala logarítmica. Fonte: coinmarketcap.com

Os anos de 2017 e 2018 foram bastante peculiares para o mercado das criptomoedas. Foram anos de crescimentos exponenciais e posteriores correções, padrões caraterísticos dos preços destes ativos.

Para a Monero os dados que se registam são os seguintes:

  • A Janeiro de 2017 uma XMR custava 13,50$.
  • Este preço cresceu até aos 495$, em Janeiro de 2018.
  • O preço corrigiu até aos 48$, registados em Dezembro do mesmo ano.

Apesar do crescimento exponencial e consequente queda do preço, a Monero terminou o percurso desses dois anos (2017 e 2018) com um crescimento de 13,50$ a 48$.

Ou seja, quem tivesse investido em Janeiro de 2017, estaria lucrar cerca de 250% sobre o seu investimento inicial!

Primeiro Quadrimestre de 2019 (Janeiro – Abril)

Nos primeiros 4 meses de 2019, a Monero apresenta alguma recuperação da correção que sofreu no ano anterior. Crescimento este, que acompanha os movimentos que se têm observado na maioria das criptomoedas.

Carteiras de Monero

Para guardares as tuas XMR de forma segura podes usar a carteira (wallet) da própria criptomoeda. Desta forma, garantes que estás a usufruir desta moeda de forma segura e que os teus dados não são partilhados com nenhuma terceira entidade.

São apenas 5 passos e bastante simples de se seguirem:

Passo 1: fazer o download e instalação do software. Para isso basta ires à página de downloads da Monero e selecionares a aplicação que se adequa ao teu sistema operativo.

Monero wallet Downloads
A aplicação está disponível para os mais variados sistemas operativos, incluindo Windows, Mac e Linux.

Passo 2: selecionar a língua.

Passo 3: Selecionar o tipo de carteira.

A primeira opção “criar uma nova carteira” é a opção mais simples e prática.

Passo 4: escolher o nome da carteira e guardar a chave privada que te é atribuída!

Passo 5: Definir uma password.

password carteira monero
Deves definir uma password para posteriormente fazeres login na tua conta.

E já está…

Quando terminas, são-te mostrados os detalhes da tua nova carteira.

Assim que clicas em abrir carteira (open wallet) vais poder finalmente começar a receber, enviar e armazenar XMR!

Homepage da carteira

Atenção: não consegues converter XMR para euros, reais, ou outra moeda fiat através da wallet. Para isso terás que usar uma exchange como a Binance.

Perspetivas futuras

Vários indícios apontam para que o futuro que se aproxima tende para uma sociedade mais aberta e descentralizada.

As caraterísticas de privacidade desta criptomoeda deram-lhe um grande destaque inicial, pois foi das primeiras criptomoedas a oferecer um anonimato e privacidade que não é possível na Bitcoin.

Mesmo já existindo outras alternativas para isso, a Monero mantém-se forte na comunidade, tornando-a numa excelente candidata para ter sucesso no futuro deste mercado.

É do interesse geral estar informado e acompanhar os progressos futuros da Monero, especialmente a partir do momento da implantação do Kovri.

A Monero pretende potenciar a sua privacidade.

A Kovri é uma tecnologia de anonimato em rede, descentralizada e gratuita. Este projeto surge como uma opção para os usuários (miners incluídos) de Monero fazerem transações entre si, omitindo até os seus IP’s durante o processo.


Como comprar Monero (XMR)?

Para investires nesta moeda podes:

  • usar uma criptoexchange como a Binance onde podes converter os teus atuais euros ou BTC por XMR.
  • usar uma corretora como a XTB onde podes fazer trading de CFD’s de Monero e ficar assim exposto às variações de preço desta criptomoeda (de forma regulada pela CMVM).


✓ Regulada pela CMVM
✓ Contratos Compra/Venda
✓ 25 criptomoedas



✓ Exchange de Criptomoedas
✓ Depósitos em €; £ e BTC
✓ >50 criptomoedas




Adicionar um comentário