Stellar – Análise Fundamental

O que é a Stellar?

Na sua essência, a criptomoeda Stellar (XLM) é um protocolo para pagamentos. O seu produto engloba-se na indústria FinTech (tecnologias financeiras), onde ao usar a Stellar, será possível agilizar todo o processo de transferências monetárias entre fronteiras e diferentes instituições, diminuindo custos e tempos de espera dos mesmos.

É vista como uma grande competidora da Ripple (XRP) e muitas comparações se fazem entre as duas. O fundador da Stellar, Jed McCaleb também foi um co-fundador da Ripple e ambos projetos são direccionados à mesma indústria.

(Curiosidade: McCaleb também foi quem criou a antiga bolsa Mt.Gox, mas já não estava presente no projeto qundo o polémico hack aconteceu.)

Existem algumas divergências entre estas criptomoedas, sendo talvez a mais notória delas todas a filosofia com que as equipas lideram o seu desenvolvimento. No site da Stellar pode-se ler:

“A Stellar pretende providenciar serviços financeiros de baixo custo para ajudar a combater a pobreza e desenvolver o potencial individual.”

Trocando isto por “miúdos” pode-se concluir que os clientes-alvos destas duas empresas, a Ripple Labs e a Stellar Development Foundation, são diferentes e têm objetivos distintos. A Ripple foca-se mais em trabalhar com instituições bancárias, ao passo que a Stellar pretende apelar mais ao empreendorismoempresas além do setor bancário e claro, aos indivíduos que possam beneficiar do serviço.

Isto é visível nas parcerias estabelecidas por estas moedas. A Ripple tem inúmeras ligações com bancos reconhecidos internacionalmente. A Stellar envolve-se mais com empresas do ramo tecnológico tais como IBM e Deloitte.

A nível técnico as diferenças também existem. No entanto para manter a leitura simples e de fácil digestão para o leitor comum, vamos resumir essa informação da seguinte maneira:

  • Algoritmo de consenso:
    • Stellar usa o SCP – Stellar Consensus Protocol;
    • Ripple usa Proof-of-Correctness;
  • Gestão dos tokens (supply):
    • Stellar aplica um modelo inflacionário (1% ao ano);
    • Ripple usa um modelo deflacionário (taxas cobradas em transações são «queimadas»);
  • Centralização:
    • É um tema sensível de abordar mas de um modo geral, Stellar é mais descentralizada que a Ripple (porém o token XRP da Ripple é cada vez mais descentralizado…);

Se os pontos acima não fizerem sentido não te preocupes, não é totalmente fácil nem indispensável percebê-los para perceber a proposta de valor da Stellar.

Colocando um ponto final na discussão «Stellar vs Ripple», o importante de perceber é que independentemente das semelhanças e divergências existentes, ambas têm excelente estrutura e potencial para levar o seu produto ao sucesso. O mais provável é mesmo que caso as criptomoedas destinadas à FinTech venham a ter o êxito esperado, tanto uma como a outra vão poder gozar desse triunfo. Como diz o ditado: “a maré quando sobe, levanta todos os barcos”.

Como funciona?

No coração da tecnologia da Stellar está o SCP – Stellar Consensus Protocol – desenvolvido pelo conceituado professor David Mazières (não se deixem enganar pela sua foto do LinkedIn). Eis como este se compara a outros mecanismos de consenso frequentemente utilizados:

Mais uma vez, de forma sucinta, vamos apresentar as características que a tecnologia blockchain da Stellar traz:

  • base de dados aberta e descentralizada;
  • milhares de transações por segundo (TPS), com baixo custo;
  • smart-contracts e multi-assinaturas;
  • modelo de confiança (trust) flexível.

Token XLM

 

Existem cerca de cem mil milhões destes tokens pré-criados (104.264.152.998 XLM). Atualmente o número em circulacão é bastante menor; a adição de futuros tokens segue um modelo inflacionário com uma taxa anual de 1%.

Graças ao método de votação federada do SCP, os holders de XLM (também conhecido como Lumens) podem receber mais XLM passivamente. Para isto é preciso configurar a wallet correctamente; mais informações aqui.

A qualidade exímia da documentação para programadores que queiram desenvolver aplicações com a tecnologia da Stellar é um forte indicador da qualidade e seriedade deste projeto. As “anchors” são peças centrais na arquitetura da rede da Stellar.

” Âncoras são entidades nas quais as pessoas confiam para manter seus depósitos e emitir créditos na rede Stellar para esses depósitos. Todas as transações monetárias na rede Stellar (exceto Lumens) ocorrem na forma de crédito emitido por âncoras; então as âncoras atuam como uma ponte entre as moedas existentes e a rede Stellar. A maioria das âncoras são organizações como bancos, instituições de poupança, cooperativas de agricultores, bancos centrais e empresas de remessas.

Este conceito de âncoras não é nada de novo. O PayPal é um exemplo de âncora que transfere dinheiro entre duas entidades sem necessidade de transmissão de dados pessoais entre ambos

Casos de uso e aplicações

No panorama do comércio global, existem tipos de transferências monetárias que causam problemas logísticos tanto para quem quer enviar, como para quem quer receber. Os exemplos principais, por ordem crescente, são:

  • transferências entre instituições bancárias diferentes;
  • transferências entre instituições diferentes em países diferentes;
  • transferências entre instituições diferentes, em países diferentes com diferentes moedas nacionais (conversão é necessária);

Esse atrito criado prejudica a produtividade e consequentemente o potencial dos negócios envolvidos, diminiuindo a fluidez de capital enquanto aumenta custos e tempos de espera. São nestes pontos chave que a Stellar pode intervir. Para os interessados numa explicação mais detalhada sugerimos esta apresentação do próprio Jed McCaleb:

Outra componente importante do sistema é a bolsa distribuída (distributed exchange). Além de apoiar a emissão e movimentação de ativos, a rede Stellar também atua como uma bolsa descentralizada de qualquer tipo de ativo que as pessoas tenham adicionado à rede. Dados como saldos mantidos pelas contas de usuários e as ofertas que as contas de usuários fazem para comprar ou vender ativos, são armazenados na blockchain da Stellar.

Por fim, a Stellar deixa-nos com esta visão do que pretende atingir com o seu produto:

” Imaginem um mundo em que, quando viaja, nunca precisa trocar de moeda, exceto no ponto de venda ou compra. Onde pode optar por manter todos os seus ativos, por exemplo, ações do Google, sacando pequenas quantias, quando precisa pagar pelas coisas. Os pagamentos entre ativos tornam este mundo possível.

Conclusão

A Stellar trata-se de uma criptomoeda, que a nível tecnológico, tem elementos e funcionalidades impressionantes. Num mundo em que as tecnologias blockchain e criptomoedas venham a ter um lugar consolidado na indústria financeira, muito provavelmente a Stellar vai lá estar.

Parcerias com empresas como a IBM, que tem planos de usar a rede da Stellar para lançar a sua versão de uma dollar stablecoin – uma criptomoeda de valor fixado ao dólar – dão a crer que este projeto tem a solidez necessária para que coisas bastante interessantes venham a ser desenvolvidos com ele no futuro.

 

Onde comprar?

Recomendamos três alternativas para se investir em Stellar (XLM). A mais simples de todas é fazendo-o através de plataformas de investimento online como eToro ou IQOption. Nestas, não é preciso configurar carteiras virtuais para armazenar moedas. Basta escolher “Comprar” ou “Vender” para se tirar mais-valias com a variação do preço do token XLM.

Para quem já tiver Bitcoin ou Ethereum e quiser trocar por XLM, pode fazê-lo na Binance.

Por fim, se quiserem comprar os tokens de XLM diretamente, a Hodly disponibiliza esse serviço, juntamente com uma carteira virtual no próprio site (embora seja sempre recomendado guardar os tokens na sua própria wallet).

 



Comentar