Gestão de Risco II: Como Medir o Risco de uma Trade?

No artigo passado sobre gestão de risco abordámos a importância desta prática. De uma forma resumida, a gestão de risco é o que está na base da pirâmide de todos os traders que conseguem ter sucesso no mercado. Também falámos sobre o Stop-Loss e como podemos usar esta ferramenta para gerir a percentagem do nosso portfólio que é colocado em jogo em cada trade.

Este artigo aborda melhor o conceito de risco, mais especificamente o rácio de risco/recompensa, e como ele pode ser usado para estruturarmos uma estratégia sólida de trading. Este conhecimento tem que fazer parte dos alicerces de quem queira ganhar dinheiro consistentemente a fazer trading com Bitcoin ou outras criptomoedas.

O que é o risco?

No trading, o risco tem a sigla R, e pode ser matematicamente definido como:

Por exemplo, se o preço de um BTC está a 6.000€ e eu entro no mercado, numa posição long, esperando que ele suba até 6.400€, colocando um Stop-Loss em 5.800€, então:

Um risco de 2 é geralmente conotado como 2R. Sites para visualização de gráficos de preço geralmente possuem uma ferramenta que permite medir este risco automaticamente. Um dos mais usados é o TradingView:

 

O valor de R, descrito na imagem como “Risk/Reward Ratio: 2”, é muito mais importante do que o tamanho da trade. Consideremos as duas seguintes situações:

  • Trader 1: gaba-se de ter conseguido lucrar 300€ numa trade com Bitcoin;
  • Trader 2: afirma que conseguiu um lucro de 100€ de forma similar.

Qual deles é o melhor?

Intuitivamente poderemos dizer que o trader 1 levou a melhor porque o seu lucro foi maior. Mas a resposta certa é que não sabemos, pois não sabemos o R de cada trade. Simplesmente não temos os dados suficientes para responder à pergunta… Uma vez que isto é um caso fictício podemos facilmente corrigir este problema:

  • Trader 1: gaba-se de ter conseguido lucrar 300€ numa trade com Bitcoin, sendo que arriscou 200€;
  • Trader 2: afirma que conseguiu um lucro de 100€ de forma similar, arriscando 20€.

Com estas informações já temos tudo para saber qual é o melhor, vejamos:

É fácil agora perceber que o nosso segundo trader conseguiu um desempenho bem melhor, mesmo com um lucro menor. O seu risco foi de 5R, enquanto que o do seu colega foi 1,5R. Como um pequeno exercício mental podem tentar, por vocês próprios, responder à pergunta: quanto teria o trader 1 lucrado se a sua trade tivesse um risco de 5R?

Então deve-se sempre procurar fazer trades com um R maior para conseguir ganhar mais?

Não. É claro que com um R maior ganha-se mais, mas também são trades mais difíces de se conseguir com sucesso! Cada investidor tem o seu estilo. Se a preferência for por trades com um R menor, um trader terá que conseguir acertar mais vezes para manter lucros consistentes. Naturalmente, se por outro lado a preferência for por trades com um R maior, o número de acertos necessários será menor. A tabela abaixo mostra-vos a percentagem de acertos necessários para manter lucros consistentes, dependendo do R escolhido por cada trader:

Conclusão

Compreender o que é o R, saber monitorizá-lo e jogar à volta dele é fundamental para conseguir desenvolver uma estratégia de trading que gere lucros consistentes. É importante perceber se temos preferência por estilos de trading com R mais baixos ou mais altos, sendo que não há um valor certo ou errado para ele. E por fim, relacionar essa gama de valores de R, com a percentagem de acertos necessários para tornar essa estratégia viável.

Uma boa maneira de testar e aprimorar as nossas estratégias e capacidades como trader de Bitcoin e criptomoedas, é anotar num caderno os motivos que nos levam a crer iremos acertar essa trade (faixas de suporte, resistência, etc.) e pseudo-estabelecer um ponto de entrada, saída e stop-loss. Depois pode-se começar a tirar conclusões daí.

Alternativamente, usar uma conta grátis de demonstração em plataformas de negociação como a IQOption também é uma boa forma de “ganhar calo” nos mercados.

 



Adicionar um comentário