O que é um Smart Contract?

Existem vários indícios que o próximo capítulo na evolução da Internet of Things (IoT) vai ser afetado por uma nova tecnologia. Foi assim com o TCP/IP, o protocolo que possibilitou a criação da internet, e-mail e a world wide web que conhecemos hoje em dia. A nova tecnologia agora em questão trata-se da Tecnologia de Registo Distribuído (do inglês Distributed Ledger Technology) também conhecida como blockchain, que é uma base de dados descentralizada com informações armazenadas numa vasta rede de computadores pelo mundo todo. Um dos elemento mais preponderantes desta nova tecnologia são os Smart Contracts.

 

O que são Smart Contracts?

Exemplo do código de um Smart Contract

Inicialmente proposto por Nick Szabo em 1997, foi definido pelo próprio como “um conjunto de promessas, especificadas em formato digital, incluindo protocolos que possibilitam as partes contratantes a executar as promessas feitas”. Os Smart Contracts usam a lógica “se…, então…” (do inglês if/then) para criar contratos digitais que se auto-executam, auto-reforçam e são contingentes.

Para simplificar, comparemos esta tecnologia a uma maquina de vendas automática. Normalmente para comprar um terreno é preciso passar por advogados, notários ou agencias imobiliárias, pagando a cada um deles para conseguir obter o documento que me torna o dono legal daquele terreno. Com Smart Contracts, eu coloco o montante de Bitcoin na máquina de vendas (neste caso a blockchain) e recebo o respetivo documento que me torna proprietário de um terreno ou qualquer outro tipo de propriedade. Além disto os Smart Contracts não só definem regras e sanções que envolvem um acordo, mas também reforçam e aplicam essas regras ou sanções automaticamente.

Uma vez desenvolvido o Smart Contract é encriptado e guardado na blockchain, sendo partilhado com os computadores que fazem parte da rede, que verificam a legitimidade do contracto. Embora partes do Smart Contract sejam públicas, a encripção previne qualquer um de acessar os seus conteúdos, até um excelente hacker.

 

 

Benefícios e usos

Com Smart Contracts a serem executados na blockchain elimina-se a necessidade de intermediários terceiros para supervisionar e tratar de transações, que por sua vez reduz fortemente os custos e tempos de espera.

A autonomia, descentralização e auto-suficiência inerente aos Smart Contracts abre portas a um novo espectro de negócios que sejam inovadores ou que melhores negócios já existentes. Prova disso é o sucesso do Ethereum é uma plataforma onde qualquer um pode criar uma criptomoeda (ICO – Initial Coin Offer), que por sua vez usa os Smart Contracts na blockchain do Ethereum.

Conclusão

A digitalização de recursos e negócios é uma tendência crescente que foi possível graças ao surgimento de tecnologias que o permitiram. Um exemplo dessa tecnologia é a Internet, hoje em dia não só usamos a Internet mas praticamente vivemos com ela. Para muitos cidadãos de países desenvolvidos é quase impossível viver sem ela. A blockchain está a dar os seus primeiros passos mas veio mesmo para ficar. Os Smart Contracts são uma ferramenta inovadora que traz vantagens que estão a revolucionar e melhorar a maneira como os negócios e prestação de serviços ocorrem hoje em dia.

Hoje em dia ainda são poucos os desenvolvedores que sabem trabalhar com a blockchain. Com a demanda deste serviço a aumentar, e com plataformas como o Ethereum a criar infraestruturas que facilitam a criação de aplicações usando esta tecnologia, vai-se tornar cada vez mais fácil escrever Smart Contracts e aplicá-los em casos reais.