Social trading: explicação e sugestões para iniciantes

O que é?

Em plataformas de negociação online (brokers) o social trading é definido como uma estratégia que permite a investidores copiar as trades de outros investidores com experiência e historial de sucesso.

Com a implementação de trading com criptomoedas nestas plataformas, o social trading tem vindo a ganhar popularidade na comunidade “crypto” e, cada vez mais, há bons traders a adicionarem criptomoedas ao seu portfolio.

O funcionamento é simples: escolhe-se um trader e alocam-se fundos para copiar (proporcionalmente) as trades dele.

Por exemplo:

O Tiago é um trader de sucesso que apresenta um ganho médio de 5%/mês. A Joana quer copiar o Tiago.

1- A Joana regista-se na plataforma de Social trading onde o Tiago opera.

2 – A Joana põe 200€ na plataforma a copiar as trades do Tiago.

3 – Assumindo que o Tiago mantêm a taxa de sucesso no 1º mês (5%), a Joana ganha 10€ (= 200*5%).

Esta estratégia gera lucros quando é bem usada mas não retira ao investidor a obrigação de ser diligente na escolha dos seus investimentos.

Neste artigo falamos sobre os benefícios do social trading e também de como ficar longe das más escolhas relacionadas com esta estratégia.

Vantagens

Para quem quer investir em criptomoedas, é importante conhecer-se bem a moeda em que se está a investir.

  • Qual é o objetivo da criptomoeda?
  • Qual é a equipa responsável pelo projeto?
  • Como funciona o seu algoritmo de mining e de consenso?
  • Que parcerias tem?
  • Qual é o seu roadmap?

Estes são apenas alguns exemplos de perguntas que convem estarem respondidas antes de se investir numa criptomoeda. Quanto maior o conhecimento, maior a certeza da viabilidade do projecto e da criptomoeda.

Normalmente estas perguntas estão respondidas nos “Whitepapers” das criptomoedas que são textos entre 20 a 50 páginas.

Por outro lado, para se fazer um trading racional com criptomoedas (Bitcoin e Ethereum por exemplo) é também aconselhável ter conhecimentos de análise técnica. Este conhecimento é adquirido essencialmente com a experiência.

Ora, o social trading permite-te investir em criptomoedas sem fazer este “trabalho de casa” uma vez que vais estar a copiar traders que já fizeram este estudo para eles mesmos.

Trading vs Social Trading

Geralmente, as corretoras que têm uma plataforma de social trading também te permitem fazer trading de forma autónoma. Porém, para além do “trabalho de casa” que isso exige, é comum entre os traders principiantes deixarem-se levar pelas emoções.

Quando fazes o trading por ti próprio tens que decidir tudo o que envolve o investimento:

  • Qual o ativo a investir?
  • Abrir uma posição de compra ou venda?
  • Definir o montante do investimento.
  • Determinar “stop losses” e “take profits“.

Estas são sempre decisões complexas para quem nunca investiu nos mercados financeiros nem tem conhecimento técnico.

Desvantagens

Como é natural, nem todos os que ganham são automaticamente traders de sucesso. Existem casos em que os ganhos advêm de condições específicas de mercado que potenciam os lucros – o chamado fator sorte.

E quando essas condições não se verificam, o investimento começa a perder valor.

Por exemplo:

No ano de 2017 a Bitcoin viu o seu preço crescer exponencialmente dos 1.000$ aos 20.000$, e nem todos os que ganharam com essa subida eram traders de sucesso.

Alguns tiveram simplesmente a sorte de investir no ativo certo na hora certa!

Como evitar cair no erro de copiar os traders errados?

Bem, existem várias estratégias que podes aplicar para te esquivares, nomeadamente:

1) Analisar o trader

Traders de sucesso apresentam resultados constantes, isto é, apresentam regularidade na obtenção de lucros.

Normalmente as margens de lucro são mais pequenas do que os traders que têm sucesso no curto-prazo, no entanto são constantes ao longo do tempo.

Idealmente um período de análise de 3 anos é o mínimo para teres garantias quanto à consistência de resultados dum trader.

e-Toro social trading
Para além disso, as corretoras disponibilizam-te vários dados acerca do trader, nomeadamente o risco envolvido, a diversificação do portfolio e a rentabilidade média no último ano.

2) Diversificar o risco

Esta é uma das regras fundamentais de qualquer investimento.

Ao invés de colocares todo o teu capital no mesmo trader, em teoria, é aconselhável dividires o teu dinheiro entre vários traders ou tipos de traders.

social trading como funciona
Os traders têm tendência a especializar-se em classes de ativos distintas: criptomoedas, ações, forex, matérias-primas, etc

Assim, caso um dos traders que decidiste copiar apresente resultados negativos, este prejuízo pode ser compensado pelos outros traders que apresentam lucros.

3) Acompanhar o trading

Apesar do social trading ter sido feito para simplificar o investimento e potenciar os ganhos sem grandes preocupações, isso não significa que a partir do momento em que copias um trader, o teu trabalho terminou.

Afinal de contas é o teu dinheiro e não custa nada dar uma “vista de olhos” de 10 minutos no final do dia para verificar os progressos do teu copy-trading.

Como começar?

Atualmente já existem algumas corretoras que te disponibilizam a opção de social-trading.

A e-Toro é considerada pelo mercado como a melhor opção para o fazeres. Muito graças às centenas de traders que tem à tua disposição e à transparência da corretora e segurança dos fundos, que são garantidos pela sua licença numa reguladora europeia – a CySec.




Comentar